Welcome
welcome to my blog

Não verás bem o design do blog com o Internet Explorer
Aqui poderás ver todos os meus desabafos e histórias ou apenas textos fictícios escritos por mim, espero que gostes :)
Tento aplicar o novo acordo ortográfico apesar de por vezes isso não acontecer. Identifico os meus textos com "CF" no final, caso não seja um texto da minha autoria estará devidamente assinalado entre aspas.
Se seguires por favor diz.
Pequenas Coisas Parte VIII
5 de agosto de 2011

68 comments



Entretanto juntam-se todos em casa das raparigas para jantar e Tiago diz para a Margarida:
- Então e o jantar? Estou a morrer de fome e penso que não sou o único
- Pois não é não! – diz André.
- Vocês precisam de ajuda? – pergunta Diogo
- Não obrigada, está tudo controlado – responde Maria
- Mas se fosses querido ias preparando a salada – diz Joana a rir
- Está bem então – responde Diogo
E em poucos minutos o jantar fica pronto.
- Vá, deixem a televisão e venham comer, esfomeados – diz Joana
- Finalmente! – grita André e salta por cima do sofá e corre até à sala de jantar e senta-se. Fica tudo a rir com a reacção dele e sentam-se todos também à mesa.
- No fim podíamos ir todos ao bar das piscinas que dizem? – pergunta Tiago.
- Sim é uma boa ideia – responde Margarida
- E nós ainda temos de falar – diz Carolina para Afonso
- Eu sei que sim, no fim de jantarmos falamos – responde Afonso
Diogo que estava sentado ao lado de Maria diz-lhe:
- Mariazinha linda esta noite vais estar só comigo.
- E se eu não quiser? – pergunta Maria na brincadeira.
- Não faz mal eu obrigo-te, e se for necessário rapto-te.
- Ok, está bem então – diz Maria super feliz pelas evoluções em relação ao Diogo.
- Tenho a certeza que as brincadeiras no mar diminuíram a partir de hoje – disse Tiago meia a brincar meio a falar a sério.
- Fala por ti – disse André automaticamente.
- Podes ter a certeza que diminuíram – responde Afonso.
- Fraquinho – diz André, e novamente todos se riem.
- André é espantoso a forma como tu consegues sempre animar tudo – diz Joana.
- Sim, eu sou um máximo não é necessário dizerem – diz André fazendo uma cara de valente.
Continuaram o jantar em conversa, e então cada um dos rapazes volta para sua casa para irem-se vestir para saírem, excepto Afonso que foi falar com Carolina.
- Vem para o meu quarto para falarmos – disse Carolina.
E Afonso seguiu-a até ao seu quarto e ao chegarem lá Carolina diz:
- Podes falar.
- Carolina, eu sinto uma atracção por ti, não sei bem definir concretamente o que sinto, mas sei que tem vindo um pouco a aumentar – disse então Afonso.
- Sinto o mesmo por ti Afonso, também não o sei definir concretamente, mas tal como disseste tem vindo a aumentar ao longo destes dias.
- És muito especial para mim, sabes? Nunca conheci uma rapariga como tu, nem que tivesse o impacto que tu estás a ter em mim, e a verdade é que nunca senti isto por ninguém antes – disse Afonso.
E nisto Carolina beija-o e diz:
- Olha, amo-te, e vai para casa para não nos atrasarmos, já nos vemos mais logo.
Afonso beija-a e volta para casa.
As raparigas arranjam-se e saem, pelo caminho Joana diz:
- Esta noite vou ter uma noite como já não tenho à muito tempo.
- Então? – pergunta Carolina.
- Vou me dedicar a rapazes, vais ver – respondeu Joana.
E todas se riem, e Margarida diz:
- Vês Maria, eu disse que o Diogo sentia algo mais por ti do que uma simples amizade
- É, talvez tenhas razão, talvez seja desta que eu arranjo um rapaz decente – disse Maria sorridente.
- Sim tu mereces – disse Joana.
E todas se abraçam.
Pelo caminho encontram Tiago e Afonso, e Afonso ao chegar junto de Carolina beija-a.
- Evolução e nem contam nada – diz Maria.
- Oh, sabes como é, mas pronto sabem agora – disse Carolina.
- Estás muito gira Margarida – disse Tiago.
- Obrigada – disse Margarida envergonhada – também não estás nada mal.
- Olhem, vem ali o Diogo e o André – disse Afonso.
- Olá meus queridos – disse André num tom de gozo.
- Olá Maria – disse Diogo, e dá-lhe um grande abraço - estou mesmo decidido, nesta noite vais ser só minha.
- Será isso bom? – perguntou Maria.
- Verás – disse Diogo e deu-lhe um beijo na cara.
Chegaram ao bar e estavam todos a dançar juntos e a beber. A Carolina estava com o Afonso, e Maria com o Diogo, André andava a tentar arranjar raparigas e os restantes estavam os três juntos.
- Maria, tu és linda – disse Diogo.
- Quando isso for verdade eu direi o mesmo – disse Maria – porque mudas-te de um dia para o outro as tuas atitudes para mim?
- Porque andava a desperdiçar uma amizade que poderia dar mais do que uma simples amizade – respondeu Diogo.
- Sabes, já há algum tempo que eu te olho com outros olhos, mas nunca quis admitir, eu amo-te Diogo – disse Maria envergonhada, nem acreditando que tinha acabado de admitir tudo aquilo em frente a Diogo.
- Acredites ou não digo-te exactamente o mesmo – disse Diogo – e olha vou-te beijar.
E dito isto beijou-a, estiveram mais um tempo juntos até que Diogo teve de ir à casa de banho. Passou por volta de 15 minutos e Maria achou que Diogo estava a demorar demasiado tempo, e então foi procurá-lo. Perto da casa de banho viu-o e nem quis acreditar no que tinha visto, e saiu do bar a chorar. Margarida que assistiu a tudo foi a correr atrás de Maria.


PS: Não consigo seguir algumas pessoas, peço desculpa.
CF

Older post | Newer post
20:59




Instagram