Welcome
welcome to my blog

Não verás bem o design do blog com o Internet Explorer
Aqui poderás ver todos os meus desabafos e histórias ou apenas textos fictícios escritos por mim, espero que gostes :)
Tento aplicar o novo acordo ortográfico apesar de por vezes isso não acontecer. Identifico os meus textos com "CF" no final, caso não seja um texto da minha autoria estará devidamente assinalado entre aspas.
Se seguires por favor diz.
Pequenas Coisas Parte XII
26 de agosto de 2011

43 comments




- Joana, compreendes que não queira muito falar contigo agora – diz Maria.
- Perfeitamente, e foi por isso que eu fui procurar uma outra casa para ficar o resto dos dias, e consegui encontrar, vou já arrumar as coisas e vou embora.
- Bem, gostei da tua atitude, mas não é necessário tu ires para outra casa, podes ficar aqui, apenas eu não estou disposta a ter muitas conversas contigo – diz Maria.
- Compreendo, mas Maria eu peço mesmo desculpa por tudo, comportei-me como uma cabra de pior, sei que errei, e não, eu não vou dizer que tudo aquilo aconteceu por eu já ter bebido, porque apesar de eu realmente já ter bebido, eu tinha noção do que estava a fazer – diz Joana, e continua começando a chorar - e lamento imenso se a nossa amizade acabar, gosto imenso de ti, e adoro estar contigo.
- Poderia dizer o mesmo de ti, mas não o vou dizer depois de tudo o que me fizeste, e não tenho mais nada a dizer, vou ter com elas à cozinha – diz Maria em resposta.
Joana fica a chorar depois de toda aquela conversa, e completamente arrependida de tudo o que tinha feito, mas não podia voltar atrás.
Decidem ir todas para a praia e ligam aos rapazes a perguntar se eles também iam, dizendo eles que sim, e então elas põem-se a caminho. Encontram-se todos pelo caminho, mas Diogo vinha um pouco em baixo e não disse nada.
- Tiago, como estás? – pergunta Margarida.
- Estou bem agora, mas estou ansioso por ir dar um mergulho ao mar.
- Mal cheguemos à praia iremos os dois logo para o mar – diz Margarida.
- Combinado – concorda Tiago.
- Joana, estás muito calada – diz André
- Não me chateies por favor – responde ela.
- Porque estás assim? Ah, deixa-me adivinhar porque basicamente trais-te uma amizade de vários anos, pois é compreensível – diz André de forma a provocá-la.
Joana não responde começando apenas a chorar.
- Parece que agora a menina está arrependida – volta a provocar André.
- Não provoques mais, ela fez asneira mas não é necessário seres tão mau para ela – diz Tiago.
- Pronto, eu calo-me.
Durante o resto do dia as coisas estiveram calmas, sem confusões e sem grandes conversas. O Afonso e Carolina continuavam bem um com o outro, e entre os outros o ambiente estava bastante pesado.
À noite não saíram, cada um jantou em sua casa e foram-se deitar. Durante a noite, pelas 2h da manhã, Maria ouve alguém a chamar pelo seu do lado de fora da casa, mas ignorou pensando que poderia ser alguém que fosse a passar, olhou para Carolina, mas ela tinha sempre um sono muito pesado e não estava acordada. Mas continuavam a insistir até que Maria reconheceu a voz de Diogo. Levantou-se então da cama e foi até à janela, abriu-a e viu já imensa gente à janela no prédio em frente, e viu Margarida e Joana na janela do quarto ao lado, olhou então para baixo e viu Diogo com a sua guitarra.
CF

Older post | Newer post
18:25




Instagram